Comidas Típicas

culinaria-2.jpg

Do apimentado tempero da cozinha típica, à fartura de cores e sabores, tudo isso faz da  Bahia uma terra de culinária rica, exótica e deliciosa.

A fartura de cores e sabores está em todos os cantos da Bahia. Do apimentado tempero da cozinha típica à diversidade da culinária do Sertão, passando pelos  doces de frutas tropicais e os mais variados bolos, fazem da Bahia uma terra de culinária rica, exótica e deliciosa. 

Culinária da Chapada Diamantina

Um dos pratos mais tradicionais da região é a galinha ao molho pardo, feita com o sangue da própria ave, o que lhe confere um sabor peculiar.

Culinária da Ilha de Itaparica

A culinária típica é baseada em frutos do mar, com destaque para as moquecas e ensopados de ostra, chumbinho, aratu, siri, caranguejo, sarnambi, polvo, lula, camarão e lagosta.

Culinária de Belmonte

Camarões imensos grelhados, deliciosas moquecas de pitu (uma cruza de camarão com lagosta), sashimi de robalo, lagosta, e muito peixe fresco. Azeite de dendê e leite de coco dão o toque final que confere o sabor típico da culinária baiana.

Culinária de Canavieiras

Conhecida como a “cidade do caranguejo”, Canavieiras oferece um menu completo tendo o crustáceo como atração principal. A fartura é tanta que, no mês de setembro, a cidade promove o Festival Nacional do Caranguejo, o que atrai visitantes ávidos pelo seu sabor peculiar e carne tenra. No cardápio, além do convencional caranguejo cozido em água e sal com temperos e servido inteiro, o crustáceo é combinado com diversos ingredientes em uma infinidade de pratos que agradam os mais apurados paladares.

Culinária de Jacobina

Em Jacobina, a culinária é típica do sertão baiano. Carne de sol com pirão de leite, bode assado, buchada, feijão de corda, rabada e andu (um tipo de leguminosa característica da caatinga) fazem a fartura da mesa e a alegria do paladar. A sobremesa está garantida. A cidade é também famosa pela fabricação de doces típicos – os mais conhecidos são o de marmelo, o de goiaba e o de banana.

Culinária de São Francisco do Conde

A culinária típica de São Francisco do Conde reserva delícias exóticas como o arremate de sururu e a moqueca na folha de bananeira, feita com xangó sem a espinha dorsal – a embalagem na folha de bananeira ajuda a conservar a temperatura e dá sabor especial ao quitute.  O tempero, caprichado no dendê e no leite de coco, revela moquecas variadas de peixes e mariscos ou, se preferir, os ensopados condimentados no tomate, pimentão, cebola e cheiro verde. Para acompanhar, o feijão fradinho é sempre uma boa pedida. Feijão doce também é prato certo na mesa, em São Francisco do Conde. Para adoçar o paladar, balas variadas feitas com frutas típicas, como as de jenipapo, coco e goiaba com coco. Saiba mais sobre São Francisco do Conde.

Culinária do Jorro

A culinária típica do sertão é um dos destaques à beira do Rio Itapicuru (Jorrinho). O tradicional bode assado é pedida certa. De sobremesa, doces de frutas da época, como umbu e banana, além dos famosos doces de batata e de leite. Saiba mais sobre Jorro clicando aqui.

Culinária do Oeste

No coração do Oeste Baiano, em Barreiras, a comida típica típica reúne diversas influências, com especial destaque para as cozinhas gaúcha e cearense. O tradicional churrasco divide o paladar com pratos inusitados, tipicamente nordestinos, como o pirão de cabeça de surubim e a galinha caipira com pirão de mulher parida. As peixadas e o feijão tropeiro endossam a diversidade de sabores da cidade. Para adoçar o paladar, a sobremesa fica por conta dos doces feitos da fruta, com destaque para o de maracujá nativo e o de buriti. A feira local reúne todos os tipos. Biscoitos peta, ginete e queijada são os mais clássicos.

Culinária no Arraial

Comida mineira, massas caseiras, cantinas italianas, especialidades espanholas, austríacas, francesas, tacos mexicanos, grelhados, frutos do mar, pizzas. A variedade e qualidade da culinária, em Arraial D’Ajuda, são tais que os restaurantes organizam um Roteiro de Gastronomia – Arraial da Gula – na última semana de julho, com cardápios e preços especiais; sempre aliados a atrações sócio-culturais. Os pratos mais cotados, como não podia deixar de ser, trazem o melhor da culinária típica da Bahia, regados a muita pimenta malagueta, azeite de dendê e leite de coco, além da mandioca e do milho – matérias-primas de bolos variados, doces, mingaus, farofas e pirão. Saiba mais sobre Arraial D’Ajuda.

Culinária Sertaneja

Para além da cozinha afro-baiana, a culinária característica do sertão baiano inova em receitas à base de pirão, farofa e carne seca. Carne de sol, de bode, cabrito e charque; maxixe, mandioca, milho e a manteiga de garrafa são ingredientes fundamentais na panela – ou tacho – do sertanejo. De certo que a culinária da Bahia não estaria completa sem a herança da caatinga. Na cidade de Salvador e Recôncavo, nos municípios da Ilha de Itaparica e ao longo de todo o litoral o predomínio é das delícias tipicamente afro-baianas. A região semi-árida, margeada pelo imponente São Francisco, completa a miscelânea de gostos e temperos da cozinha baiana com toques sertanejos. Saiba mais sobre Canudos, Cipó, Monte Santo,Euclides da Cunha e Jorro, locais de tradição em culinária sertaneja.

Culinária Sertaneja

Para além da cozinha afro-baiana, a culinária característica do sertão baiano inova em receitas à base de pirão, farofa e carne seca. Carne de sol, de bode, cabrito e charque; maxixe, mandioca, milho e a manteiga de garrafa são ingredientes fundamentais na panela – ou tacho – do sertanejo. De certo que a culinária da Bahia não estaria completa sem a herança da caatinga. Na cidade de Salvador e Recôncavo, nos municípios da Ilha de Itaparica e ao longo de todo o litoral o predomínio é das delícias tipicamente afro-baianas. A região semi-árida, margeada pelo imponente São Francisco, completa a miscelânea de gostos e temperos da cozinha baiana com toques sertanejos. Saiba mais sobre Canudos, Cipó, Monte Santo,Euclides da Cunha e Jorro, locais de tradição em culinária sertaneja.

Doces da Ilha Paraíso

O local ganhou fama como o paraíso dos doces. São nada menos que 60 tipos de doces caseiros, típicos da região. Além de saborear as guloseimas, o visitante também pode levar para casa doces já embalados para viagem, como lembrança do lugar.

Bahia.com.br
Copyleft 2014